Mostra Elas - Filmes dirigidos por mulheres

Mesas de debate

COLETIVOS E AÇÕES COLETIVAS MULHERES POR TRÁS DAS CÂMERAS POLÍTICAS DE FOMENTO NO AUDIOVISUAL

Mulheres por trás das câmeras no cinema brasileiro

MESA II, 19 DE AGOSTO, 18H30, SALA DE ARTE DA UFBA

A presença feminina no audiovisual nacional ainda é pequena, tanto nas funções de direção e roteiro, quanto em funções como fotografia e captação de som. Por meio dos relatos das convidadas, será discutido o papel das mulheres no audiovisual e a presença feminina nos sets de filmagem.

 

sobre as convidadas

 

ana luiza penna (BA)

Diretora de som de cinema e TV – Técnica de som profissional trabalhou em longas, series para TV, curtas e documentários nos últimos 19 anos, alguns como: Filhos do Carnaval HBO/O2 filmes, Cidade dos Homes 02 Filmes; “Falsa Loira”; “ Nome Próprio” de Murilo Salles; “Olho de Boi” de Hermano Penna; “Diabo a Quatro” de Alice Andrade; “Travessia”, de João Gabriel; “Tropykaos”, de Daniel Lisboa; “A Finada Mãe da Madame”, de Bernard Atal; “A Música da Minha Vida”, de Gabriela Barreto; “Sinais de Cinza”, de Henrique Dantas; “A Bicicleta do Vovô”, de Henrique Dantas, entre muitos outros.

 

Daiane rosário (BA)

Daiane Rosário é montadora e produtora de Cinema e Audiovisual. Nas produções em que participou constam programas de TV, séries e filmes, na sua maioria veiculados a grade de programação da TVE-BA. Em busca de identificação e novas narrativas de raça e gênero nas produções cinematográficas, integra grupos que pautam uma nova perspectiva das demandas sociais nas grandes telas. Produziu e montou a série documental Travessias Negras, integra a equipe do filme documentário; Revolta dos Búzios; e produz o filme documental “Uma mulher, uma aldeia”.

 

Graciela Guarani (PE)

Comunicadora, Cineasta, Fotógrafa e Oficineira de Audiovisual. Pertencente a grande Nação Guarani é autora juntamente com outros jovens de dois livros de fotografia intitulados “Nossos Olhares e Olhares sobre o futuro realizado nas Aldeias Jaguapiru e Bororó de Dourados –MS (2004/2005) – AJI. Formadora Audiovisual no projeto intitulado “ Vidas Pararelas Indígena” pela UNB – Universidade de Brasília2012. Direção do curta “ Terra Nua” -2014 ( Bienal de Cinema Indígena “ Aldeia SP” -2016) Direção do curta “ Mãos de Barros” T.I Pankararu –PE 2016 (festivais: Curta Taquary 2017; Festival de filmes Etnográficos do Ceará e festival 2017 e Festival de Triunfo-2017) Assistente de fotografia na série de tv “Amanajé” O mensageiro do futuro – KAM FILMES LTDA – ME (Ancine)2015; Cinegrafista em uma produção ainda em construção da produtora inglesa Needs Must Films.

 

Samanta do Amaral (sp)

Formada em Comunicação Social – Habilitação em Rádio e TV pela Unesp – Universidade Estadual Paulista. Lá se apaixonou pela técnica de animação em massinha e realizou como projeto de conclusão de curso, o curta de animação; Infidelidade;, em parceria com Cecília Lara. O curta teve significativa passagem por diversos festivais do Brasil, tais como Anima Mundi 2004, Curta Mogi (2o. lugar melhor vídeo), Festival de Cinema de Ribeirão Preto e GRANIMADO-Festival de Animação de Gramado. Já ministrou oficinas de animação de massinha, para crianças e jovens, na unidade do SESC Itaquera e na escola de animação Studio-Escola. Em 2006 estreita relação com a fotografia cinematográfica e ingressa no mercado de pós-produção de imagem, atuando como colorista no tratamento de imagem. Acumula passagem pelos maiores estúdios de finalização do Brasil, sendo assistente de color grading nos Estúdios Mega, colorista no grupo Teleimage/Casablanca e colorista sênior e gerente de color grading na Cinecolor Digital do grupo Chile Films. Atualmente atua como colorista na equipe da DotCine. Ao longo dos últimos 10 anos de trabalho, contribuiu no tratamento de imagem de inúmeros projetos audiovisuais (longas, curtas, séries), firmando parceria com importantes nomes do cinema nacional, tais como: Os Amigos (Lina Chamie), Mulher do Pai (Cristiane Oliveira), Pela Janela (Caroline Leone), Periscópio (Kiko Goifman), Depois da Chuva (Marilia Hughes e Claudio Marques).

Design por Voulta